terça-feira, 28 de maio de 2013

Day 7 — Your Ex-boyfriend/girlfriend/love/crush

Até parecia um verdadeiro e irônico conto de fadas assim receber uma cantada no lugar e tempo onde ninguém imagina assim como receber uma cantada safada, porém sincera no ônibus saindo do campus numa tarde agradável carregada de vento fresquinho vindo dos morros do norte.

Uma leve cutucada no meu antebraço rendeu uma conversa escrita por quinze páginas depois de uma tentativa fracassada de fazer uma leitura labial nos teus lábios tensos e cercados de barba que tornaram uma combinação nada convencional de riso ríspido e conversa acelerada. Número de celular anotado no meu moleskine reciclado, surrupiado e cheio de anotações de cores azul, preta, vermelha e verde ainda mais marcadas com cores vibrantes. Ônibus em movimento tornou o jeito da minha letra bela para horrorosa enquanto tua continua sendo bela e cuidadosa que me deixou boquiaberto.

Várias mensagens de celular contendo perguntas, respostas, gostos, curiosidades íntimas com um grande nível de safadeza me deixaram sem jeito durante três dias depois da cantada no ônibus. Até certo momento em que não esperava assim no meio dos sentimentos que voltaram a ficar tensos, no meio da madrugada chuvosa e gelada, quando recebi teu pedido do namoro enquanto estávamos deitados na cama. Fiz várias perguntas para certificar se você está agindo corretamente.

Repreendi-me depois de receber teu pedido de namoro, tive que aceitar por gosto da novidade, mesmo sabendo que ia dar um problema apesar de tuas implorações mimosas enquanto me abraça.

Foram os três meses carregados de tensões inconvenientes e desamores psicossociais.

Você é uma pessoa mais bizarra e cheia de surpresas para deixar alguém assustado com tuas histórias nada alegres sobre teu pai e relações familiares. Deu para notar que você precisa de alguém que te apoia, te ajuda, te cuida, te protege e te ama de forma crucial. Não sou ideal para você.

Nunca entendo nem vou entender tua mente confusa e dopada pela fluoxetina e antirretrovirais quando você perdeu a casa depois da confusão que teu pai causou e tive atender teu pedido de morar comigo por enquanto. Mas isso levou dois meses morando comigo que me fez pirar!

Não sei como você pode admitir que gostasse dos meus pais só porque conheceu por apenas 10 minutos! Insuficiente demais para entender minha aversão aos pais.

Por falar dos pais, conheci tua mãe, teu irmão gêmeo (PASMEM! Ele é mais diferente fisicamente e emocionalmente de você!) e tua família estranha. Sei que não tem nada a ver com a religião judaica que você tem orgulho de dizer que sabe falar e escrever hebraico e ídiche. (tirando esse orgulho idiota que você pediu que eu não mencionasse nada disso para minha família que possui tradições alemã. [quão panaca desesperado você é!]).

Apesar de sermos virginianos, percebo que nossas aptidões, nossas manias, nossos medos, nossas neuroses e afins não colaboraram a continuação do relacionamento conflituoso. Quer saber uma coisa? Não achei tua atitude correta quando você teve que trancar três cadeiras por justificar das tuas crises depressivas, déficit de atenção e HIV. Você está andando na beira de abismo às cegas, porra! E nunca MAIS VOU PERDOAR pelo o que você tinha dito algo contrário sobre meus amigos que me apoiam!

O tal de HIV que você revelou enquanto almoçávamos no RU. Essa cena foi totalmente bizarra e chocante demais pro meu gosto. Tentei te pressionar para saber como aconteceu e você contou noutro dia. Isso foi uma PURA BURRICE TUA! VÍTIMA DE ESTUPRO ASSIM MAIOR DA IDADE? COMO ASSIM? Tu topou o convite de ir na casa de desconhecido depois de conversar no chat, É ISSO MESMO? PELO AMOR DE DARWIN, NÃO APRENDEU NA ESCOLA? Diria que é estupro consensual. SE FUDEU, GORDO!

Agradeço por me confiar pelas revelações, desabafos e palavras ácidas, menos tua filosofia engenheiroca sobre mundo orgânico e plástico me irrita pacas e tua visão clínica sobre meu mundo silencioso foi totalmente inaceitável! Informe-se bastante com a variedade, aprecie bastante com o momento empírico onde exige o preço alto para apreciar e não se faça papel de vítima tempo todo, se liga!
Ainda mais nunca mais vou te perdoar por ter atrapalhar meus estudos universitários e reuniões da bolsa para atender tuas crises infantis sem noção. Veja só o lindo resultado que ganhei: cadeira reprovada, não vou formar este ano e terei que estudar mais um ano. Satisfeito? VÁ NA MERDA!


Dar um final no relacionamento insuportável foi a melhor das coisas que fiz, isso não foi fácil, viu!

Dessa vez espero que você encontre um parceiro que seja enfermeiro, médico ou psiquiatra. E desejo que teu caminho seja uma happy hour eterno que lhe custa uma fortuna para deixar tua mente lúcida, por enquanto. E tenha excelentes estupros consensuais pós-chat terra (que maldoso sou eu!). 
E as idas aos ônibus voltaram a ser monótonas, porém, bem melhores sem tua presença abobada. Tampouco não vou fazer nenhum escândalo quando te encontro em alguma parte do campus e no RU, prefiro ficar te ignorando...

Se cuida, torresmo porco assado pig!

Beijo, G.

P.S: Vá à quiropraxista para que ajeite tua coluna defeituosa, viu!

6 comentários:

Anônimo disse...

Risadas hilárias, muito obrigada! Vou dormir feliz!

anorexify bones disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
anorexify bones disse...

que bom que vc voltou, senti saudades dessa leituras cativantes.
abraço

Geizon Moço Da Silva disse...

Adicionei varias palavras ao meu vocabulários HASUhu', belo te×to lek

CARLA disse...

kkk, pig ! Saudade da tua assiduidade.

Anônimo disse...

achei seu blog por aí, entre pesquisas desesperadas e depressivas. Em busca de um sentimento em comum.

www.impertinenciass.blogspot.com